segunda-feira, 28 de março de 2016

28/3


            Hoje o dia estava bom, até deu pra ver alguns passarinhos cantando naquela imensa cidade cheia de oportunidades e sonhos, as aulas já tinham praticamente acabado, só faltava à aula de português.

            Fizemos a correção dos exercícios que a Fernanda tinha passado na aula passada, é são sempre exercícios, podia ser não sei, “escreva uma história, e passaremos a aula inteira lendo, a melhor vai ganhar um prêmio”.

            Serio mesmo eu sendo uma ótima escritora eu nunca ganho esses concursos, nunquinha, parece que outras pessoas têm um talento oculto para escrever as histórias, é, a vida é realmente dura.

            Mas como você vive a vida com alegria assim Letícia?

            R: Bom... Eu tento ver o lado positivo em tudo, a vida é uma jornada de muitos caminhos para um mesmo lugar, nós escolhemos o que mais se adapta com sua própria personalidade, cada vez que erramos ou até perdemos, fique sabendo que é uma lição de vida. Eu já ouvi um ditado que diz: “Sempre que há um ganhador, tem um perdedor”. Eu não concordo, uma pessoa que por muitas vezes perdeu, adquiriu muito mais conhecimento sobre si próprio do que aquele que sempre ganhou. Pense nisso antes de dormir, é o que eu faço antes de dormir eu fico pensando por mais ou menos meia hora o que aconteceu, o que está acontecendo e o que vai acontecer com mundo que me circunda.

            Meu pai! Eu viajo muito... Onde eu estava... Há é, aula de português.

            Correção dos exercícios sobre a biografia do “Ronaldinho fenômeno”. Que não acho nada fenômeno, fala sério, siga meu raciocínio: Eu vou escrever o que eu pensei ele ter dito, mas para os amantes de futebol, olha não é uma ofensa, é apenas minha opinião - “Eu joguei futebol, me casei cinco vezes e só o que eu tenho que fazer é jogar uma bola mais cheia de ar que a minha cabeça e... e... Nossa! Como esse pessoal é burro, me contratam só para eu jogar futebol! O que eu posso fazer de graça, e foi assim mundo, que eu conquistei meu milhões”

            Olha até minha vida é mais emocionante que a copa do mundo, e olha que a minha vida não muita novidade, eu estudo,eu escrevo, leio, posto no meu blog (pra quem não sabe www.pensadoresdoagora.blogspot.com.br, respiro e tudo mais que uma pessoa normal faz.

            Você não concorda vendo nesse ângulo?

            Quem teve tudo sempre à mão, nunca teve a experiência de viver a vida. Eu por exemplo, eu admito não tenho uma vida tão emocionante para escreverem uma biografia minha. Muitas pessoas merecem uma biografia, mais do que aquele cara, ta ele se deu bem na vida, e meu pai também, e cadê a biografia dele sendo publicada? Mas que injustiça é o mundo hoje em dia, que mundo chato!

            Ronaldo se deu bem na vida, e daí? Eu também e o resto da maioria do mundo também! Com eu disse anteriormente, futebol dá pra se jogar de graça. Já viu os jogos na educação física? Ele tem uma importância maior para os fundamentos acadêmicos, do que um futebol na TV? Pense, qual é a importância do futebol, sem ser para lazer e educação? Se um dia encontrar a resposta, me diga que eu estou curiosa.

            #alertadedevaneio

            A aula estava prestes a acabar, e aí outra viajem maluca para nada mais nada menos uma missão bizarra e por poções épicas. Fui para o espaço em uma nave espacial, que chato, não posso viver em paz, nem uma aulazinha de português?

            Fui até onde deveria estar o piloto, sabe pilotando a nave. Aporta estava entre aberta. Bati na porta. Uma mulher de longos e compridos cabelos negros com carvão e olhos mais azuis que o céu respondeu:

            - Seja bem vinda, preciso de sua ajuda.

            - Da minha ajuda?

            - É por acaso ficou surda guria, EU-PRE-CI-SO-DA-SUA-AJUDA.

            - Ta, mas para que, sabe minha agenda ta cheia.

            - É rápido, só preciso que você me ajude a vencer uma batalha espacial?

            - Fazer o que, eu sei que se eu não fizer o mundo vai ser destruído, e todo esse papo.

            - Você está certíssima.

            - Aonde vai ser essa batalha?

            - Sabe onde fica a ilha de páscoa?

            - Não, mas o que isso tem haver?

            - É lá que vai ser.

            - Pelo que eu sei você disse, abre aspas “batalha espacial” fecha aspas.

            - Você estudou geografia?

            - Sim por quê?

            - Eu falo e você diz onde está. Ok?

            - Ok. – respondi.

            - Seu quarto.

            - No meu prédio.

            - Seu prédio.

            - Na cidade.

            - Sua cidade.

            - No país.

            - Seu país.

            - No mundo.

            - O mundo.

            - No espaço.

            - Concluindo! – ela falou – Foi um resumo, bem resumido, mas deu pra sacar? – odeio perguntas retóricas - Vai ser uma batalha espacial, pois tecnicamente estamos dentro do espaço, mesmo estando dentro da ilha de páscoa.

            - O que estamos esperando, vamos logo pra essa batalha!

            - Tele... Antes quero te dar isso.

            Ela me entregou uma bolsa cheia de babados prateados.

            - O que eu faço com isso? – perguntei.

            - Você vai saber quando chegar a hora. Agora sim, tele transporte: ilha de páscoa.

            Chegamos bem no meio do território inimigo, todos estavam indo em nossas direção.

            - Já era falei.

 

Continua, até o próximo registro diário...